Cuidados para não compartilhar notícias falsas nas redes sociais


A circulação de notícias falsas na web são uma ameaça ao potencial democrático da rede, pois essas balelas acabam confundindo as pessoas e levando a população até um mundo de decisões erradas.

 

 

Em parte a responsabilidade desse problema é de quem compartilha esse material na timeline, afnal, você está passando adiante uma informação falsa por aí. Durante as eleições compartilhar material falso na timeline do facebook ou twitter ganha um agravante: impede o cidadão de ter informações de qualidade sobre os candidatos em quem eles pretendem votar. De acordo com Gilmar Lopes do site e-farsas, que é especializado em desmentir falsas notícias que circulam na internet  “alguns boatos são tão bem elaborados que fica difícil desmenti-los. Isso influencia (e muito) na popularidade do candidato”.

 

 

Para evitar que seu facebook se torne um inimigo da democracia basta tomar alguns cuidados antes de compartilhar um link. O primeiro deles é o mais básico do mundo: leia o texto da matéria antes de compartilhar a url na sua timeline com comentários raivoso.

 

 

Existem diversos sites de humor dedicados a publicar notícias falsas e na maioria dos casos as páginas avisam que aquilo tudo não passa de uma brincadeira. É ler uma matéria antes de se indignar com ela, pois ela pode só uma piada.

 

 

Pesquisar sobre o tema antes de publicar no twitter ou face, também vale a pena “verifique em outras fontes sobre o mesmo assunto. Eu, por exemplo, uso sites de buscas como pesquisa primária e, a partir daí, vou me aprofundando mais até ter certeza. A ideia inicial do E-farsas sempre foi a de usar a própria internet como ferramenta para desmistificar as histórias que circulam nela.” aconselha Gilmar Lopes que lista como principais características de uma notícia falsa:

 

  • Texto incoerente e confuso;
  • Ausência de fontes;
  • Possuir um tom conspiratório.

 

Nós do Garotos Digitais, por exemplo, sempre que achamos uma dessas estatísticas sendo publicadas no face, vamos no site do tal instituto que fez a pesquisa onde normalmente esse material está disponibilizado para quem quiser ver. Na maioria dos casos em que dados estatísticos são compartilhados em timelines sem que o nome do grupo que fez a pesquisa seja divulgado a postagem é conversa fiada.

 

 

O que o usuário de redes sociais precisa entender é que agora ele é um produto de mídia tanto quanto o Jornal Nacional. Ao compartilhar matérias falsas em relação aos candidatos nas redes sociais o usuário de facebook está atrapalhando os processos democráticos e se tornando um pequeno cara de bunda.

Sobre Cicero Sena (174 artigos)
Jornalista, criador de conteúdo e estranhamente humano (eu acho).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: